sábado, 17 de setembro de 2011

Praias do nosso Algarve - Praia Grande

Na Praia Grande o areal e as dunas estendem-se por mais de 2 Km de paisagem aberta e desprovida de marcas humanas. Duas zonas húmidas delimitam o areal: o sapal de Alcantarilha a poente e a Lagoa dos Salgados a nascente, sendo esta última um local de renome internacional para a observação de aves aquáticas, albergando populações importantes de espécies como o gracioso perna-longa ou a emblemática galinha-sultana. 


O cordão dunar é robusto, atingindo os 300m de largura, onde dominam espécies aromáticas como a perpétua-das-areias com o seu típico aroma a caril. No troço central da praia, atravessando um passadiço de madeira que oferece uma deliciosa vista panorâmica sobre o local, é possível observar arenitos (antigas dunas com cerca de 3000 anos, agora fossilizadas) e o vistoso cravo-das-areias. 



Já no areal, perto da foz da Ribeira de Alcantarilha, encontram-se formações rochosas que correspondem a antigas praias, agora transformadas em pedra. Para lá da imensa duna observam-se campos agrícolas, sobretudo cearas e pomares de sequeiro, actualmente semi-abandonados, onde não faltam antigos moinhos e engenhos hidráulicos.



Notas: É possível fazer um percurso de natureza ao longo da praia e dos campos agrícolas, que dá a conhecer os diversos habitats do local.

Acesso: Viário alcatroado a partir da povoação de Pêra (junto à EN 125). Após 1.5 Km, o caminho segue em terra batida durante cerca de 2 Km quer para o troço poente, quer para o troço central da praia. O troço nascente possui apenas acesso pedonal pelo areal ou pela vizinha Praia dos Salgados. Estacionamento amplo e não ordenado nos troços central e poente. Equipamentos de apoio (restaurantes e WC) e vigilância na época balnear. Orientação: sudoeste.

1 comentário:

  1. O famoso sapal de Alcantarilha era naturalmente uma zona seca no período do Estio, a chamada zona do Pichôrro. Hoje é zona húmida por via de uma catástrofe ambiental provocada pela Etar de Pêra: da responsabilidade da Câmara Municipal de Silves e que por via do seu deficiente funcionamento (há mais de 10 anos que só faz a decantação dos esgotos) transformou-se numa estrumeira liquida a céu aberto, onde as aves se alimentam da porcaria em suspensão: por isso a razão da sua existência e nidificação. A Lagoa dos Salgados, ou Boca D'Alagoa; antiga maternidade piscícola, está hoje senil, sem qualquer sinal de vida!!! É esta a triste realidade do atentado cometido a um local paradisíaco!!!! Acordem!!!! o que estão promovendo é a morte!!!! a destruição ambiental da nossa terra!!! a coberto dos interesses mais perversos pela ganância do dinheiro!!!

    ResponderEliminar